sábado, 16 de julho de 2016

Mar imenso e manso


Mar imenso e manso



Como este mar imenso e manso
Onde vagueiam os olhos teus
Assim o teu olhar é o remanso
Onde descansam os olhos meus

Barquinho ao mar te fizeste
Na hora do Sol poente
Trás de volta o meu Amor
Que estou a ficar carente

Felici,16-07-2016



sexta-feira, 15 de julho de 2016

O Portão



Portão 



Nobre portão enfeitado
Trabalho antigo do artesão
Que fez trabalho suado
Para ganhar o seu pão.

Em vão o colocou, a nobreza
Proibir a entrada ,eis a razão
Esquecem porém a esperteza
Dos ditames do coração.

Em vão se coloca o portão
Em vão se proíbe a entrada
Ao ímpeto de um coração
Que deseja a pessoa amada.






Caminho não percorrido



Caminho não percorrido,
Sentido nas curvas que o pisaram,
nos olhos que se fixavam a sul
olhando ervas que ao sol secaram
e gaivotas cruzando o azul
Brisa ligeira de norte a soprar
leve como borboleta que voa
o beijo e o gesto de amar
seguem no vento para Lisboa

Mão que a outra procura
e encontra num espaço de verde e flor
sintonizando  a ternura
esboçam o gesto do amor.